De acordo com matéria publicada pela BBC News em 07 de junho deste ano, atualmente existem mais de 120 famílias de ransomwares, e esse número só tem aumentado. Mas, o que é isso: ransomware?
A palavra ransom em inglês nos remete à ideia de “resgate por meio de pagamento”, e é exatamente isso que um ransomware ocasiona. O computador infectado fica com seus arquivos bloqueados e a vítima é obrigada a pagar pelo desbloqueio. Os valores para a liberação dos arquivos variam.
A propagação de ransomwares tem sido alimentada por novos truques desenvolvidos pelos criminosos virtuais. Além dos já conhecidos anúncios, campanhas e promoções falsas, que objetivam infectar seu computador a partir do download de um arquivo executável, agora criminosos conseguem incluir ransomwares em javascript.
Diferentemente dos arquivos de programas executáveis, documento em javascript nem sempre geram um alerta de segurança ou solicitam acesso de administrador para rodarem em seu computador. Chamados de RAA, esse tipo de ransomware pode infectar seu computador através de um link enviado por email ou pagina da internet e começa a criptografar os arquivos imediatamente após o primeiro clique. Em seguida o computador exibe uma mensagem em russo em que é exigido o pagamento de uma taxa de US$ 250,00 para que os arquivos sejam restaurados.
Assim como os ataques virtuais passam por inovações, as ferramentas de proteção também tem se modernizado. Hoje, o que melhor mantém a segurança de seus arquivos é o backup em nuvem. Além de proteger seus dados contra diversos tipos de acidentes, erros ou desastres, o backup em nuvem torna possível o acesso a seus arquivos. Caso uma de suas máquinas seja infectada por um ransomware, por exemplo, você conseguirá restaurar seus dados antes do ataque. O processo de backup em nuvem tem se mostrado o mais eficaz para a proteção de informações de caráter corporativo e pessoal.

Comments are closed.